A trajetória do autoconhecimento

A medida em que vamos crescendo, passamos a enxergar a vida e as situações que nela acontecem com um novo olhar.

Nestes momentos, com a evolução da maturidade e o crescimento de responsabilidades, é possível perceber as mudanças nas atitudes por nós tomadas e no olhar lançado às situações do cotidiano, fatores que certamente influenciam na maneira que desejamos viver e seguir a nossa trajetória.

Quando a “ficha começa a cair”, a realidade se torna passageira: a percepção do mundo se altera. E diante da aceitação dessa nova perspectiva, se torna mais fácil e benéfico optar por um caminho iluminado de consciência e autoconhecimento.

A partir de então, as desculpas que eram dadas a si mesmo deixam de ser válidas, dando lugar à real mudança no comportamento, afinal, agora você possui uma nova visão sobre si e sobre o próximo, com a maturidade e responsabilidade exponenciadas, não é mesmo?

Por isso, pergunto: você conhece os seus valores? Sabe, genuinamente, quais são as suas qualidades e defeitos? Você poderia listar o que te satisfaz e o deixa feliz?

Fiz questão de apontar estes questionamentos pois muitas vezes você pode acreditar que não tem o “perfil” para se autoconhecer. Como? Por exemplo: quando toco nestes assuntos em rodas de conversas, muitas vezes escuto como resposta/justificativa: “Isso não é para mim” ou “não tenho tempo nem dinheiro para investir nisso”.

Independentemente de tempo ou dinheiro, o desejo do autoconhecimento se dá por um movimento interno presente em nosso subconsciente. Sabe aquela vontade de mudar, de evoluir sem nenhuma justificativa aparente? Então.

Estes movimentos estão presentes dentro de nós, sem ao menos procurarmos por ele de maneira externa, digamos assim. E aí, como já mencionado anteriormente, a maturidade e a responsabilidade se tornam peças chaves que darão o incentivo necessário para o novo: trilhar os caminhos do autoconhecimento.

Mas, você deve concordar que se autoconhecer é uma tarefa complexa. O início pode ser doloroso e resultar em momentos reflexivos consigo mesmo, é normal. Contudo, é importante ressaltar que, quanto mais você realizar este movimento de autopercepção, mais terá motivos para continuar nesta caminhada. Como?

Você irá perceber que se tornará natural observar seus movimentos, acompanhar os pensamentos que estão em seu consciente no dia a dia ou até mesmo buscar compreender as pessoas que estão ao seu redor. Estes são alguns exemplos que traduzem um grande passo em relação a quem você é, concorda?

Como resultado, você passa a entender o que te motiva e no que você acredita, passa a observar qual é a energia que está presente em seu corpo e o mais importante: passa a compreender o outro como parte integrante deste processo de cura e cuidado consigo mesmo.

Isabela Vera
contato@abelaconsciencia.com.br

A Bela Consciência é um objetivo traçado com muita imaginação e bel-prazer. Ela se tornou a oportunidade perfeita de unir a minha profissão e um dos assuntos que mais amo: o autoconhecimento.

Quer ser o primeiro a comentar?

Escrever