Karine Rodrigues “Sair da zona de conforto deve ser uma necessidade, não um receio”

Karine Rodrigues “Sair da zona de conforto deve ser uma necessidade, não um receio”

Por meio de uma indicação familiar conheci a Karine, uma profissional que me cativou desde o primeiro momento. Cheguei para ela com muitas dúvidas a respeito da microfisioterapia, afinal, nunca tinha feito anteriormente, então ali seria o meu primeiro contato com essa técnica.

Ela com sua doçura e praticidade, me contou quais eram as funções e benefícios de sua atividade, me mostrando que eu ganharia não só uma micro fisioterapeuta, mas também, uma amiga que poderia compartilhar minhas dores, angústias e dúvidas.

 Nesta entrevista ela conta a sua trajetória e quais caminhos a levaram a seguir essa área que hoje eu tanto admiro. Confira!

1) Karine, gostaria que você me contasse um pouco mais da sua história. Como foi a sua trajetória até você chegar na área que escolheu para trilhar sua carreira profissional?

Desde criança sempre tive o firme propósito de ser fisioterapeuta, pelo fato de acompanhar meu pai no tratamento de fisioterapia devido ao diagnóstico de esclerose múltipla e por influência da minha mãe que trabalhou como professora de ensino especial.  Sempre gostei e continuo gostando de ajudar pessoas.  

Me formei há 10 anos, fiz pós-graduação em Fisioterapia Neurológica, Pós-graduação em Homeopatia, Formação em Fisioterapia Integrativa, Formação Internacional em Microfisioterapia Evolutiva – MKE, Formação Internacional Francesa em Microfisioterapia com os criadores da técnica França – Formação em Constelação Familiar Sistêmica e Aprofundamento Master em Constelação Familiar Sistêmica e Nova Medicina Germânica (GNM), além de uma Formação em Fisioterapia em Terapias Complementares e Integrativas – com técnicas de Hipnose, Radiestesia e Florais.

2) Você poderia nos contar, de maneira breve, o que é a microfisioterapia?

Sem auxílio de equipamentos ou remédios, a terapia francesa é capaz de tratar desde dores físicas a traumas emocionais. É uma técnica manual da fisioterapia que por meio de palpação mínima, garantem especialistas, identifica a causa primária de uma doença ou um sintoma, estimulando a autocura do organismo. 

Apesar de ser considerado inovador, o método foi criado pelos fisioterapeutas e osteopatas franceses Daniel Grosjean e Patrice Benini em 1983 e tem como base científica a embriologia, área da biologia que estuda a formação do embrião.  Existe uma interação dos músculos, do sistema nervoso e da emoção. Nosso organismo se autocorrige sem que se perceba. Mas quando o trauma é muito grande ou o corpo não consegue identificá-lo ocorre uma memória desse acontecimento a nível tecidual, o que pode provocar dores e doenças. Dessa forma, a microfisioterapia atua na eliminação dessas memórias.

Cada sessão dura cerca de uma hora. De modo geral, são indicadas de uma a três sessões, com um intervalo de aproximadamente dois meses. A técnica é recomendada para dores agudas e crônicas; problemas do trato digestório e respiratório; doenças do sistema nervoso; medos e fobia; fibromialgia; depressão; infecções de repetição (bronquites, laringites, cistites, vaginites); insônia; déficit de atenção (TDA) e hiperatividade; alergias e dermatites; disfunções hormonais e problemas emocionais.

A microfisioterapia é uma técnica complementar que pode ser aplicada em adultos e crianças de todas as idades, paralelamente à própria fisioterapia e à medicina convencional.

3) De acordo com a sua opinião, qual é a importância dessa área em relação às crenças negativas que geralmente carregamos desde a infância?

Brigas em casa, problemas no trabalho, perda de emprego, problemas financeiros, mudança de escola, desarmonia no lar, separações dos pais…

Todos esses são exemplos de conflitos que acontecem ou já aconteceu com cada um de nós em nossa casa. E será que tudo isso pode afetar nossos filhos?

“Ah, mas aconteceu isso no meu trabalho e ele nem sabe! ”. Será mesmo que as crianças não percebem o que se passa em casa? Os conflitos “ditos” e “não ditos” são pegos no ar pelos seus filhos e se escondem em algum lugar?

A doença na criança é apenas uma forma que a biologia encontrou de ajudar os pais nos seus processos de autoconhecimento e evolução.

Cada vez que você procura olhar para o que se passa em seu inconsciente, para as emoções que está ocultando de alguém ou até de si mesmo, você abre uma porta para curar o seu filho, ele é apenas um espelho dos pais.

Não deve haver aqui qualquer tipo de culpa ou julgamento, simplesmente uma aceitação profunda sobre a perfeição da natureza que nos dá a possibilidade de nos melhorarmos como seres humanos a todo momento.

4) De que forma este tratamento pode auxiliar no processo de cura? Você poderia me dar exemplos, por gentileza?

Por meio de palpações suaves e precisas feitas pelo corpo, identificamos os tecidos que perderam sua função e vitalidade normal após eventos traumáticos que ficam registros nas células do organismo como cicatriz patológica. 

A microfisioterapia estimula e promove a homeostase do corpo impactando diretamente a saúde. 

O contato com substâncias tóxicas, a ingestão de produtos químicos, o trauma físico como uma contusão, as emoções ditas negativas (momentos desagradáveis vivenciados), são agressões que ficam guardadas na memória corporal, esperando um momento frágil para ser ativada novamente e gerar os sintomas que podem ser diversos desde um edema, cefaleias, alergias respiratórias e cutâneas, insônia, dores crônicas, dor na coluna, dor muscular entre outros.

A microfisioterapia é uma técnica manual que desperta no corpo a capacidade de se auto restaurar e assim possibilita a abolição dos sintomas.

5) A microfisioterapia possui alguma ligação com o Sagrado Feminino?

Através da Microfisioterapia é possível ter acesso e tratar os bloqueios armazenados na memória das células e que ocasionam sintomas nos órgãos femininos: útero, mama e ovários.

O útero é também conhecido como “o segundo coração da mulher”. É frequente observar que ele adoece quando deixamos de acreditar na nossa própria capacidade, e isso não é nada incomum no contexto social em que vivemos, onde a mulher ainda é vista como ‘sexo frágil’. Muitas vezes, por essa particularidade de ‘guardar, acolher’, ele acaba se transformando em um baú de memórias doloridas que se transformam em doenças também doloridas como é o caso da endometriose, ou aquelas que materializam a vontade interna de criar novas coisas, que em algum momento se perdeu o foi impedida, como é o caso dos miomas.

Guardamos no útero as memórias das nossas velhas avós e de todas as nossas ancestrais, e é por esse motivo que quando iniciamos uma jornada de cura e nos dispomos a realizar aquilo que viemos aqui realizar, estamos também curando elas e as liberando das dores guardadas em seus (nossos) úteros.

6) Muitas pessoas têm dúvidas sobre como funciona uma sessão. Você poderia me contar um pouco mais sobre isso?

A sessão dura em média de 30 a 45 minutos. Após relatar os motivos de sua consulta, o paciente se deita sobre maca, geralmente ainda vestido. Os ritmos vitais são mais fáceis de se perceber sobre roupas leves. 

Antes de explicar, por favor, te convido a fechar os Olhos e lembrar de Alguém que te magoou um dia… Pronto!

Já sabemos que a Microfisioterapia é realizada através do toque. Mas como isso é possível? A sensação que o fisioterapeuta procura no corpo do paciente é a “perda do ritmo vital”.

Qualquer atividade corporal tem seu ritmo vital dentro do organismo e também à superfície da pele. Esses ritmos vitais são percebidos pelas mãos como “micro movimentos”. O fisioterapeuta vai palpar diferentes áreas do corpo a fim de verificar se os ritmos estão normais. Essa palpação se faz em um movimento de aproximação das mãos, com toques suaves feitos com as pontas dos dedos e palma da mão.

Todo nosso corpo foi mapeado por Doutores Especialistas da área, portanto cada região representa um órgão ou uma glândula hormonal, que por sua vez representam as nossas emoções.

Se os ritmos estiverem ausentes, isso significa que existe uma “cicatriz”, fonte de uma disfunção na região ou à distância. Essa cicatriz se instala quando o corpo não consegue se defender de uma agressão (traumas, toxinas, emoções), também por vírus e bactérias.

Ou ainda, por deficiência do sistema imunológico ou porque a agressão foi muito forte. A Microfisioterapia ajuda o corpo a “eliminar” essas cicatrizes, estimulando a auto cura do organismo.

Um resumo para facilitar é: esse alguém que Você Pensou que um dia te magoou, gerou transtornos emocionais nas suas células causando cicatrizes nelas. Você pode até ter esquecido, mas essa dor, ainda está no seu inconsciente e também no seu corpo.

Esse é o lado bom, que podemos eliminar essas memórias sem remédios! Só com o toque.

7) Qual conselho você daria para uma pessoa que está querendo iniciar este tratamento?

Sair da zona de conforto deve ser uma necessidade, não um receio. Tenha medo de permanecer estático, sem experimentar o novo, o que você tem a perder?

Ame-se, respeite-se, escolha-se. Quando você começa a olhar para dentro de si com mais respeito, percebe que o maior amor do mundo existe sim e se chama AMOR PRÓPRIO!

8) O que é trabalhado nas sessões? 

O corpo é estimulado a reconhecer e eliminar memórias de traumas acumulados. Segundo ele, é desta forma que a Microfisioterapia age, desbloqueando o organismo e devolvendo as capacidades de defesa para reequilibrar as funções do sistema nervoso.

Esta técnica manual, não funciona como uma massagem. É capaz de identificar tecidos que perderam sua função e vitalidade normal após eventos agressores ao organismo, promovendo a normalização e a regulação das regiões corporais afetadas. Ela tem como base os princípios da homeopatia, identificando o que está despertando o sintoma no corpo, quais são os fatores que estão favorecendo o corpo a adoecer, a gente consegue modificá-lo internamente, ou seja, ele passa a entender por que aquela doença se instalou e o que ele significa. 

9) Gostaria de acrescentar algo? 

Além da microfisioterapia, trabalho com fisioterapia integrativa. Quando percebemos e analisamos cientificamente que as doenças emocionais, crônicas e degenerativas como depressão, ansiedade, as artroses, artrites, hipertensão arterial e diabetes vem aumentando assustadoramente, procuramos entender POR QUE NÃO AS CURAMOS?

Aí entra a FISIOTERAPIA INTEGRATIVA.

Ampliando o conceito onde fatores relativos ao corpo-mente-ambiente não podem ser separados, a abordagem da Fisioterapia Integrativa engloba a área da biomecânica, da bioquímica e emoção.

 Entendemos que não adianta salvar o peixe se a água do aquário estiver suja, ou seja onde ele vive e realiza as “trocas” deve estar limpo também.

Fisioterapia Integrativa está amparada por diversos conceitos teóricos, práticos e científicos que se baseiam na globalidade do ser humano. A visão da globalidade do organismo é de extrema importância na presença de qualquer sintoma ou diagnóstico, sendo que essa globalidade é a integração do conceito corpo x mente x ambiente, onde todos não estão separados.

Para cada problema será utilizada uma metodologia diferente. Para as grandes exigências sofridas e períodos de stress, o paciente pode ser beneficiado pela Microfisioterapia, Terapia Craniana, Nova Medicina Germânica, Hipnoterapia e etc. Que são métodos específicos para avaliar e tratar essa natureza de problema.

Tags:
Isabela Vera
contato@abelaconsciencia.com.br

A Bela Consciência é um objetivo traçado com muita imaginação e bel-prazer. Ela se tornou a oportunidade perfeita de unir a minha profissão e um dos assuntos que mais amo: o autoconhecimento.

Quer ser o primeiro a comentar?

Escrever