Amanda Vilani: “O amor próprio é revolucionário!”

Amanda Vilani: “O amor próprio é revolucionário!”

Com a quarentena, algumas ações e cuidados da nossa rotina perdem a disciplina, dando a outras a oportunidade de protagonismo nessa correria de home office, zoom, demandas e atividades. Já percebeu?

Por isso, ao buscar novas soluções para inspirar você a não se deixar de lado nesse período, conversei com a Amanda Vilani, Esteticista e Cosmetóloga e conversamos sobre o autocuidado em épocas de quarentena.

Aqui ela nos fala sobre a sua trajetória, sobre a influência que recebemos da mídia e sobre a importância do amor próprio.

Desejo que você se inspire nesse bate papo e que essas reflexões plantem uma sementinha de saúde holística em seu dia a dia. Confira:

1)Amanda, inicialmente, muito obrigada por me conceder essa entrevista. Para começar, gostaria de saber o que a levou a escolher a sua área de atuação?

Minha primeira opção de curso logo que terminei o ensino médio era psicologia. Iniciei o curso mas por questões financeiras acabei trancando e iniciei o curso de estética que também me atraía muito. Então, consequentemente quando entrei na faculdade de estética, fui muito atraída pelas disciplinas que envolviam o cuidado do ser como um todo (mental e físico), as terapias holísticas, e entender o que estava por trás das queixas principais da cliente e claro, importância do bem-estar que a beleza nos traz. E hoje, depois de dois anos de formação estou seguindo esses passos junto à estética em meu espaço.

2)Como esteticista, como você percebe a influência da sociedade sob a beleza feminina?

Desde muito novas somos cobradas a sermos bonitas, andarmos sempre arrumadas, com cabelo e unhas feitos. E principalmente sermos magras. O que também gera comparações absurdas, e a busca por um padrão muitas vezes inalcançável. O que mais escuto e vejo em cabine, são as questões psicologias como ansiedade e depressão, que geram a baixa autoestima, falta de confiança e aceitação. Não devemos esperar o corpo “ideal” ou a pele perfeita para sermos felizes e para vivermos o que queremos, como ir à praia e usar uma roupa justa. Nos amarmos é realmente revolucionário, é uma luta diária.

3)Falando nisso, em suas Redes Sociais, você também fala também sobre autoaceitação. Para você, qual é a importância de debater esses assuntos atualmente?

Os debates são importantíssimos para rompermos padrões, desconstruir o que foi construído socialmente e começarmos a aceitar nossas características. É um processo difícil e longo.

Na minha área, eu vejo diariamente corpos femininos, e absolutamente nenhum é igual ao outro. Temos que buscar aceitar que somos indivíduos únicos, parar de nos rejeitarmos e deixarmos de lado a comparação, para nos vermos com outros olhos e aceitar que somos únicos, especiais e é dentro desse corpo físico que carregamos nossas histórias.

4)Você trabalha com cosméticos naturais? Poderia falar um pouco sobre essa sua escolha/vertente de tratamentos?

Eu trabalho com marcas profissionais para uso em cabine, existem inúmeras, mas essa realidade ainda não é presente no dia a dia. Como profissional, dependo muitas vezes de testes e comprovações de eficácia do produto.

Mas pessoalmente falando, eu os utilizo e faço indicação home care para clientes, como por exemplo óleos essenciais e argilas.

5)O movimento Slow Beauty está em alta. Como você enxerga essa busca das pessoas pelo lado natural da beleza?

Eu acho incrível, demonstra o consumo consciente, o auto cuidado, o cuidado com o meio ambiente e ao próximo. Além de, ajudar pequenos negócios.

6)Como você vê a preocupação do consumidor pela forma como seus produtos são produzidos?

Ao mesmo tempo que vejo pessoas tomando consciência por cosméticos naturais, eu vejo que o consumismo desenfreado pelo mercado de Skin Care é gigantesca (e preocupante). Todo dia sai um novo cosmético e uma nova promessa que levam as pessoas a consumirem cada vez mais e preencherem suas prateleiras com cosméticos que não precisam.

Infelizmente acredito que estamos um pouco longe de alcançar essa preocupação pela grande parte das pessoas, mas é um mercado que vem sendo muito explorado e desconstruído pela sociedade também e fico feliz por eu e esse projeto fazermos a nossa parte, dando visibilidade ao uso consciente dos produtos.

7)Você poderia citar alguns dos benefícios da adoção de produtos orgânicos para o dia a dia?  

Na área da beleza estética, a diminuição de produtos químicos prejudiciais ao nosso corpo, cria elo perfeito entre beleza a saúde.

Além de ecologicamente corretos, são produtos com menores riscos à saúde, menores contra indicações, menores probabilidades a intercorrências como sensibilidade e alergias. Que com certeza fazem a diferença na nossa rotina.

8)Qual é o impacto de escolher um produto que faça parte da slow beauty?

Menos é mais: sustentabilidade e consumo consciente. Sem deixar de lado a saúde através produtos naturais e funcionais, deixando de lado o excesso de produtos. Posso citar o modelo de rotina coreana que tem 10 passos diurnos e 10 passos noturnos.

9)O que devemos levar em consideração na hora de escolher um produto de beleza?

Que acima de tudo traga bem-estar, tenha um sensorial agradável e um aroma que te traga paz. Que contenha bons ativos, livre de petrolatos e parabenos. Se possível livre de corantes e fragrâncias. Sempre respeitando seu tipo de pele e veículos adequados.

10)Qual é a sua dica para quem quer ter uma rotina de beleza mais natural e saudável?

Primeiramente: faça o melhor com o que você já tem em casa, antes de sair comprando. Invista em óleos, óleos essenciais e argilas. Podem ser usados em corpo, face e cabelo. Como máscaras, óleos faciais diários e tônicos caseiros com óleos essenciais.

Serviço

Amanda Vilani

Instagram: @amanda__esteticista

Endereço: Rua Maestro Francisco Antonello, 916, Curitiba, Paraná.

E-mail para contato: vilaniamanda@gmail.com  

Isabela Vera
contato@abelaconsciencia.com.br

A Bela Consciência é um objetivo traçado com muita imaginação e bel-prazer. Ela se tornou a oportunidade perfeita de unir a minha profissão e um dos assuntos que mais amo: o autoconhecimento.

Quer ser o primeiro a comentar?

Escrever